domingo, 6 de abril de 2014

Reatech 2014


Educativo virtual: Jogo de Alfabeto Manual

Seja rápido e teste seu conhecimento no alfabeto em Libras neste jogo. 

Link do jogo: http://goo.gl/TFgDbJ


Comercial - Caixa Economia Federal / LIBRAS

Aula de LIBRAS: Alfabeto manual e Número

Aula de LIBRAS: Material escolar

Aula de LIBRAS: Educação Familiar

terça-feira, 28 de maio de 2013

Alfabeto Manual


Alfabeto em Libras - Smart Kids

Atividades em Libras




















Atividades de festa junina para colorir
















domingo, 17 de fevereiro de 2013

II Encontro Latino-Americano de Tradutores Intérpretes e Guiaintérpretes – ELATILS

 Site: http://2elatils.com.br/site/

Prova do Prolibras para estudar:


1.    Prova objetiva – assistir vídeo, escolher alternativa na prova escrita e marcar folha de resposta: 2006, 2007, 2008, 2009 e 2010.

2.    História da educação de surdos no Brasil e no mundo.

3.    Datilologia

4.    Configuração de mãos.

5.    Classificadores.

6.    Educação bilíngue para surdos.

7.    Comunicação com surdos

8.    Interprete de LIBRAS

9.    Cultura Surda

10. Cinco parâmetros

11. Números

12. Sinais compostos

13.  Negação em LIBRAS

14. Lei nº 10.098 de 19 de dezembro de 2000.

1          15. Decreto nº 5.296, de 02 de dezembro de 2004.

16. Esta portaria obriga as escolas a manter um intérprete em sala de aula no ensino superior. Portaria nº 1679 de 02 de dezembro de 1990

      17. Estatuto da Criança e do Adolescente – Lei nº 8.069 de 13 de julho de 1990.

1          18. Fundador de Feneis:
Em 1977 foi fundada a Federação Nacional de Educação e Integração dos Deficientes Auditivos - Feneida. Entretanto a representatividade dos surdos estava comprometida, pois a nova entidade era composta apenas por pessoas ouvintes.
Em 16 de maio de 1987, em Assembleia Geral, a nova diretoria reestruturou o estatuto da instituição, que passou a se chamar Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos - Feneis.

1           19. Fundador de CDBS:
1994 - Foi fundada a CBDS, Confederação Brasileira de desportos de Surdos, em São Paulo – Brasil.

20. 1996 - Lei Municipal N° 7.857 (30/09/1996) – Porto Alegre. A Câmara Municipal de Porto Alegre aprovou a lei e a língua de sinais oficializada.

21. 1999 - Lei Estadual N° 11.405 (31/12/1999) – Rio Grande do Sul. O governo do Estado do Rio Grande do Sul aprovou essa lei que reconhece a Libras como meio de comunicação para os surdos.

22. 2002 - Lei Federal N° 10.436 (24/04/2002) – Brasil. Essa lei oficializou a Libras no Brasil.

23. 2005 – Decreto nº 5.626 de 22 de dezembro, Libras é Língua Brasileira de Sinais.

24. 2006 – Curso de Graduação em Letras/libras, com a coordenação da Universidade Federal de Santa Catarina e com a participação de 9 (nove) pólos, situados em diferentes estados brasileiros.

25. 2008 – Curso de graduação em Letras/Libras, licenciatura e bacharelado, coordenado pela Universidade Federal de Santa Catarina, sendo a UFRGS em Porto Alegre, um dos pólos. No total há 15 pólos, em diferentes cidades brasileiras.

26. Fundador do INES:
No Império de D. Pedro II, em 1857, o professor francês Hernest Huet veio para o Brasil fundar a primeira escola para meninos surdos de nosso país, a Imperial Instituto de Surdos Mudos, hoje Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES).

2          27. Lei de Interprete de LIBRAS:
Lei nº 12.319 de 1 de setembro de 2010

28. A lei que dez anos atrás reconheceu a língua de sinais no Brasil serviu de alicerce para uma série de políticas públicas.

29. O mesmo decreto de 2005 estabeleceu que os cursos de formação de professores (pedagogia, letras, matemática etc.) e os de fonoaudiologia, tanto públicos quanto privados, devem incluir lições de Libras em suas grades curriculares.

30.  Movimento de setembro azul:
O Setembro Azul pode ser entendido como o marco fundamental no que diz respeito à mobilização nacional  na defesa das escolas bilíngüe para surdos, o Setembro Azul é um movimento social motivada por uma critica à atual política de educação especial que tem como prioridade o modelo da inclusão, ou seja, colocar os Surdos em escolas regulares e posteriormente o fechamento das escolas especiais.
Ocorreram dois eventos que motivaram o movimento que são o “equivoco na elaboração do Plano Nacional de Educação pelo CONAE” e o “Risco de Fechamento do INES”, resultaram em uma mobilização nacional de caravanas que se encontraram em Brasília entre os dias 19 e 20 de maio de 2011, e foi no mesmo tempo que a FENEIS elaborou a carta na qual se mostrava favorável à Educação Bilíngüe para os Surdos e uma critica forte à dita inclusão escolar solicitando uma equiparação entre Educação de Surdos e a Educação Indígena.

Sites:
http://www.prolibras.ufsc.br/
Exame Prolibras
http://www.prolibras.ufsc.br/livro_prolibras.pdf
Edital
http://www.prolibras.ufsc.br/edital/PROLIBRAS_Edital_DOU_20121030.pdf

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Concurso de professor da prefeitura de Santana de Parnaiba/SP

Cargo: Educação Especial - deficiência auditiva

As inscrições serão realizadas por meio da INTERNET, no período de 21 de janeiro a 04 de fevereiro de 2013, através do endereço eletrônico www.institutomais.org.br, iniciando-se no dia 21 de janeiro às 10h00 e encerrando-se, impreterivelmente, no dia 04 de fevereiro de 2013, às 18h00.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Pós Graduação: LIBRAS e Educação Bilingue para Surdos

Site:  http://www.anchieta.br/Pos_Graduacao_2013/cursos.asp

OS SENTIDOS NA COMUNICAÇÃO - DEFICIÊNCIA AUDITIVA

A questão da comunicação para a pessoa com deficiência auditiva é um dos assuntos que mais cedo recebeu atenção de pensadores e educadores na história ocidental, desde aproximadamente o século XV. 
O debate pode ser simplificado entre a afirmação de que o pensamento é impossível sem a palavra à constatação de que a habilidade de comunicação é intrínseca ao ser humano. O ambiente social — a família, a escola e o convívio social — é fundamental para o desenvolvimento das habilidades humanas de comunicação, seja a criança ou jovem com ou sem deficiência auditiva. Qualquer criança, se não estimulada a se comunicar — oral, gestual, expressiva e/ou graficamente — a habilidade será prejudicada em seu desenvolvimento. 
A habilidade de comunicação deve ser entendida tanto para a apreensão do conhecimento, como para a expressão objetiva e subjetiva do conhecimento e da experiência de vida. 
O desenvolvimento de técnicas educacionais para o ensino da linguagem oral da pessoa com deficiência auditiva já é conhecido na história europeia desde o século XVII, e consiste em estimular a criança a “ouvir” o som das palavras com o olhar, observando o movimento labial (leitura labial) de seu instrutor e interlocutor. Nesta mesma época, a língua de sinais já era adotada como técnica no desenvolvimento da habilidade de comunicação dos surdos. 

 Fonte: http://www.memorialdainclusao.sp.gov.br/br/anexo1/sent_com_auditiva.shtml
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...